“O Arquivo Municipal terá, em breve, um espaço destinado a todas as pessoas que nos queiram dar o seu testemunho”: Entrevista a Salomé Eiras, responsável do Arquivo Municipal dos Arcos de Valdevez

O Arquivo Municipal dos Arcos de Veldevez terá, em breve, um espaço destinado a todas as pessoas que nos queiram dar o seu testemunho/ história de vida/ memórias para publicar no portal: Entrevista a Salomé Eiras, responsável do Arquivo Municipal dos Arcos de Valdevez e do projeto Portal da Memória Arcuense

(Archivoz) Como nasceu o arquivo municipal dos Arcos de Valdevez?

(SE) O Arquivo Municipal José Terra, de Arcos de Valdevez, inaugurado a 11 de Julho de 2013, surgiu no âmbito de uma candidatura ao QREN (Quadro de Referência Estratégica Nacional) em 2009, com a reconstrução das antigas instalações do jornal semanário “Notícias dos Arcos”, em plena Praça Municipal. Sob a dependência da Divisão do Desenvolvimento Sociocultural, o Arquivo Municipal é responsável pela gestão arquivística da documentação produzida e recebida pela Câmara Municipal; compete-lhe, portanto, a recolha, selecção, avaliação, tratamento, gestão e difusão da documentação proveniente dos órgãos e serviços da Câmara Municipal, nas fases de arquivo intermédio e histórico, bem como recolher e tratar tecnicamente os arquivos e conjuntos documentais pertencentes a outras entidades do concelho de Arcos de Valdevez, com interesse histórico, patrimonial, arquivístico e/ou informativo, sempre que solicitado para esse efeito.

Atualmente, o Arquivo Municipal de Arcos de Valdevez tem certificação de qualidade e integra a rede de arquivos municipais do distrito de Viana do Castelo.

(Archivoz) Como surgiu o projeto do portal da Memória Arcuense?

(SE) O Portal da Memória Arcuense surgiu da vontade do município em perpetuar a memória de um concelho tão rico em História e tradições como é Arcos de Valdevez, numa plataforma online, acessível a todos e ao mundo, reunindo testemunhos orais e escritos marcantes da história local e comunidade.

(Archivoz) Explique-nos a estrutura do Portal.

(SE) Numa primeira fase, procedeu-se à reunião e digitalização de toda a colecção de jornais concelhios, bem como das publicações apoiadas pela Câmara Municipal; as figuras relevantes na história e desenvolvimento do concelho não foram esquecidas, assim como as histórias de vida de quem as deseja partilhar, sublinhando deste modo, tradições que ainda persistem, ou se perderam no tempo. No entanto, com o avançar do trabalho, a pretensão foi mais longe, e decidiu-se alargar o projecto, focando o trabalho também nos conteúdos e monumentos arqueológicos existentes, passando pelos testemunhos das Guerras Mundiais, Estado-Novo, ou do Ultramar. Uma descrição de todas as freguesias, fundamentada na pesquisa dos registos existentes no Arquivo Distrital de Braga, será também possível de consultar, na segunda versão do Portal, ainda em conclusão, mas lançado muito em breve.

(Archivoz) Qual a importância da disponibilização da Hemeroteca Digital? Quais foram os critérios de escolha dos periódicos?

(SE) A hemeroteca digital, tal como foi acima referido, foi o ponto de partida para a elaboração do projecto, já que é uma documentação muito solicitada; funcionando como um espelho social e cultural, e como ferramenta de trabalho para muitos, tornou-se imperativo torna-la acessível a quem vive fora do concelho, e até do país. Assim, procedemos à digitalização de todas as publicações existentes na Biblioteca Municipal, iniciando o trabalho pelos mais antigos; neste processo deparamo-nos, infelizmente, com várias lacunas, pelo que convidamos os leitores que tenham este tipo de espólio consigo, a cederem-nos edições que se verifiquem em falta (em digital, ou em papel), de forma a enriquecer esta hemeroteca, que é de todos. De momento, temos online sete jornais, mas no novo Portal teremos 23; serão milhares de imagens acessíveis gratuitamente ao público, de 1886 até ao presente.

(Archivoz) Qual a interação entre o arquivo municipal e o portal da memória arcuense?

(SE) O Arquivo Municipal terá, em breve, um espaço destinado a todas as pessoas que nos queiram dar o seu testemunho/ história de vida/ memórias para publicar no portal, do anónimo ao “famoso”, toda a gente é bem-vinda a partilhar.

Está também encarregue da digitalização de toda a documentação inserida no Portal, bem como da pesquisa necessária nas diversas rubricas. Contudo, este projecto conta também com a cooperação da Biblioteca Municipal Tomás de Figueiredo.